Raindrops Keep Fallin’ …

nike-running-rain-collection-2

on My Head

Ontem lembrei-me desta música de 1969, do filme “Butch Cassidy and the Sundance Kid”, a qual ganhou o Óscar para Melhor Tema Original. Não corro à chuva. Ponto. Vamos lá ver, se for fazer uma prova e estiver ou começar a chover, eu não irei faltar à partida ou desistir a meio só porque o céu abriu as comportas. Isso será uma excepção à regra. Porém, se estiver a falar de um treino, será difícil avançar para o mesmo caso suspeite que a meio possa começar a chover. Nada tenho contra a chuva ou a água, até porque a natação é o meu desporto favorito mas, prefiro enfrentar a chuva com gabardine e chapéu-de-chuva do que ter de enfrentá-la com roupa para correr, sabendo que irei ficar ensopado nesse processo. E fará mal ficar ensopado se a seguir se tomar um banho quente? Provavelmente, não. Aliás, os gajos da bola fartam-se de jogar à chuva e não creio que a maioria caia à cama com uma enorme gripe ou pneumonia. Está bem, mas eles ganham para isso. Eu, sem chuva, já sou uma florzinha de estufa, por isso, nem quero arriscar a ir correr para o meio da chuva. Há pouco tempo realizou-se a meia maratona da Nazaré, onde o S. Pedro brindou todos os corredores com chuva bem forte no final da prova. Um malandro, esse S. Pedro. Mas o curioso, nos muitos posts que li a respeito desse evento, foi ver fotos dos corredores com um ar super descontraído no final da prova, como se fosse um belo dia de Verão. Pois, acho que tenho mesmo um problema em associar o andar à chuva com a prática desportiva. Eu terminava aquela prova e só queria era me colocassem 3 ou mais cobertores em cima e que viesse alguém proteger-me com um chapéu-de-chuva. E também poderia referir este treino nocturno, onde 62 destemidos atletas não hesitaram em enfrentar «aquele temporal», para realizar um treino de 21Km.

O que eu gostava mesmo era de poder controlar o tempo com um comando, de uma forma tão simples como programar a gravação de um programa na Power Box da Zon. Sempre que fosse correr, agarrava no comando e introduzia os seguintes dados: Temperatura de 22ºC; uma ligeira brisa; um pouco de humidade no ar; sem nuvens e o Sol um pouco acima no horizonte. Este seria o meu ideal de corrida. Assim já não teria de me preocupar sobre que raio de roupa é que iria escolher para correr, ou passar muito tempo a consultar o site do Instituto de Meteorologia, o qual, diga-se, está sempre a enganar-me. Ontem, antes de sair de casa, comecei por planear ir correr ao final do dia. A previsão do Meteo apontava para aguaceiros, entenda-se, precipitação por vezes intensa durante um perído curto. Ora, aguaceiros é bem diferente do céu coberto de núvens durante o dia todo e com chuva contínua. Com aguaceiros até surgem abertas de várias horas onde não cai um pinga que seja. Mas como mais vale prevenir que remediar e uma vez que é o carro que carrega os sacos, além do saco com as coisas para correr, decidi juntar mais um saco com as coisas para ir ao ginásio. Não, não são as mesmas, caso tenha tido essa dúvida.

Parecia que estava a adivinhar. Pelas 16:30 começou a chover bem e assim continuou até perto das 21:00. Felizmente tinha ido preparado com alternativas, senão lá ia começar a rogar pragas ao S. Pedro. Não fiz treino longo em estrada, mas fiz musclação do tronco, pernas, abdominais e acabei com 40’ de corrida na passadeira, com 15’ numa inclinação de 5%. Foi bom. E tal como diz a letra no final da música,

Cause I’m never gonna stop the rain by complainin’
Because I’m free
Nothing’s worrying me

Anúncios
Esta entrada foi publicada em Corrida, Natureza com as etiquetas , . ligação permanente.

3 respostas a Raindrops Keep Fallin’ …

  1. Em Portugal até temos um clima muito bom para correr em qualquer altura do ano na rua.

    • É verdade. E aqui no Algarve até se pode dizer que ainda temos melhor clima, ou pelo menos, menos dias de chuva face ao resto do país. Pior, p.e., quem está em Inglaterra, que passa a maior parte do ano a treinar sob chuva

  2. Exactamente. Ainda há uns dias, num treino longo por algumas avenidas em Lisboa comentava com um amigo a pouca gente que se vê a correr, tendo em atenção o clima que temos. Noutros países, com temperaturas bem mais rigorosas, a cultura do running é incomparavelmente mais abrangente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s