Custa ver …

374247_2419680457236_1408157199_3198305_1039007256_n

(foto sacada do Facebook. Autor desconhecido)

… esta imagem. Antiga piscina municipal do Areeiro. Morreu em 2006 e desde então, aquele espaço tem estado entregue à vandalização. A notícia diz que: “As antigas piscinas dos Olivais, Campo Grande e Areeiro irão reabrir no Verão de 2012 transformadas em modernos ginásios com preços módicos e horários alargados”. Custa ver e saber isto, porque cheguei a nadar várias vezes nessas piscinas, um marco na minha infância. Para já o que se pode dizer é que a promessa da CM de Lisboa não será cumprida. O mais provável é que isto continue assim por mais anos. O que se sabe é que, como a CM de Lisboa não tinha dinheiro para reabilitar os recintos, abriu um concurso público internacional para realizar uma parceria público-privada. Ganharam duas empresas espanholas da especialidade que, em troca de concessões por 40 anos, iriam pagar obras de transformação num total de 22,5 milhões de euros. No caso dos Olivais e do Campo Grande, a cargo do grupo Ingesport, um passe individual para frequentar o complexo desportivo, que funcionará das 7h às 23h, custará 35 euros mensais.

Apesar de tudo, a manterem-se essas promessas de preços e considerando o horário alargado, pode-se dizer que a mudança será vantajosa para todos os que queiram praticar desporto. A notícia não é esclarecedora, mas se for 35€/mês com direito a usar, as vezes que se quiser, a piscina e os ginásios, será um valor fantástico. Tenho dúvidas que assim seja. O vereador do desporto da CM de Lisboa justifica-o assim: “Estas empresas apostam no baixo custo e na utilização maciça, tendo as famílias como alvo preferencial”. A ver vamos. Para já, é um buraco sem utilidade.

Falando em buraco, parabéns à CM de Braga por ter dado mais um bom exemplo de gestão de dinheiro público. Depois de terem gasto 8 milhões de euros na primeira fase de investimento daquilo que seria um complexo de piscinas, uma delas olímpica, chegaram à conclusão que não tinham forma de financiar os 12 milhões de euros que faltavam para executar a segunda fase. Agora, nem os Bracarenses têm um complexo desportivo onde poderiam ser realizadas competições de natação, nem o presidente do município sabe como irá tapar o buraco já aberto. Talvez o faça com mais uma parceria privada que ali se disponha a construir e gerir um parque aquático.

Eu sempre tive a natação como desporto favorito. É um desporto completo, com benefícios inquestionáveis. E por causa dos preços, pensava há dias no seguinte: Em Olhão, pago cerca de 23€/mês para ter acesso livre as vezes que quiser. Já num ginásio pago 30€/mês para usar a sala de musculação 2 vezes por semana. Além dos benefícios físicos com a natação e do facto do seu valor ser mais económico que um ginásio, a verdade é que por vezes dou por mim a nadar sozinho numa piscina de 25m enquanto que no ginásio chego a ter de esperar que uma máquina fique livre para a poder usar. É estranho. Por razões que não consigo atingir, a natação, apesar de todos os seus benefícios, não é a primeira escolha de quem quer praticar desporto. Já cantava o outro:

Bantú não sabe nadar yo; K.J.B. não sabe nadar yo; Madnigga não sabe nadar yo; Makkx não sabe nadar yei

Advertisements
Esta entrada foi publicada em Natação, Recinto Desportivo com as etiquetas , . ligação permanente.

2 respostas a Custa ver …

  1. Dá dó ver essas piscinas nesse estado… nadei aí muitas vezes quando era miúdo, inclusive as minhas primeiras competições (que na altura se chamavam “Primeiras Braçadas”) e ganhei aí algumas das minhas primeiras medalhas, quando nadava no CNO – Clube de Natação de Oeiras, com o agora nadador de travessias Miguel Arrobas. Espero para ver o resultado final, mas sentado. É triste saber-me assim tão céptico…

  2. Olá,
    Uma piscina do tipo que conhecemos (municipal aquecida/coberta com 25mts, tanque e bancadas) é um investimento significativo com custos operacionais muito consideráveis. É um equipamento com alta dificuldade de ser viável para uma utilização proveitosa para os seus utilizadores. Existem muitos factores que concorrem para que uma piscina seja uma fonte inesgotável de despesas. Julgo que o custo médio por utilizador deverá rondar entre os 7,5 e os €10 se considerarmos os custos de amortização do investimento que custa pelo menos 3 milhões de euros se estivermos a flar em piscinas do tipo Areeiro.
    Como o preço de entrada unitário não deverá passar os €3 a €4 julgo que o Estado na forma autárquica deve financiar cada entrada em aproximadadmente €5!!! Servindo esta infraestrutura a menos de 10% da população só autarcas e eleitores menos avisados é que as podem avalizar.
    Vão encerrar muitas piscinas municipais em breve e á medida em que seja necessária a reposição de equipamentos de maior impacto de investimento.
    Até breve

    João

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s