23ª Tróia–Sagres?

Nova imagem (14)

E assim de repente surge este convite: “23ª TRÓIA – SAGRES em BTT”, a 15-12-2012.

A esta distância, quando ainda faltam cerca de 3 meses e tendo em conta que nunca pedalei mais de 60Km de seguida, parece-me algo, digamos, ‘impossível’. Mas também se pode pensar assim: nessa altura do ano, o sol põe-se por volta das 17h, por isso, por uma questão de segurança rodoviária, convém chegar a Sagres antes disso. Se começar a pedalar às 8:00 e com um ritmo médio de 25Km/h, abaixo do que costumo fazer nos treinos, precisaria de 8h para completar os 200Km. Mesmo com 45m de paragens estaria lá pelas 16:45. Visto assim, já não parece tão ‘impossível’. Depois, pelo que contam, são muitas as centenas de ciclistas que vão andar ali a pedalar e isso é sempre motivação e apoio para chegarmos ao fim. A ver vamos. Para já é preciso pedalar mais. Sobretudo ir aumentando o número de quilómetros que são feitos num único treino e ver se pernas e nádegas aguentam. Depois disso será também preciso pensar no apoio logístico: como ir até Tróia e quem é que irá acompanhar a aventura de carro para me apanhar em Sagres, ou a meio do caminho, caso a palavra “desistir” tenha de ser pronunciada.

A história da aventura contada pelo seu fundador:

Quando fiz 40 anos, o que aqui entre nós, não foi assim há tanto tempo, estabeleci para mim próprio um teste anual para contrariar a sensação de velho que minhas filhas já adultas me faziam sentir.
Tinha de ser um teste duro e dificilmente ao meu alcance. Como por essa altura fazia atletismo de fundo e sobretudo ultramaratonas, não fazia muito sentido estabelecer objectivos no desporto para o qual estava bem treinado. Daí pensei na bicicleta que era algo que não praticava com regularidade.
Em cada Natal, com a reunião de toda a família, ficamos particularmente mais sensível ao tema da velhice e nesse mesmo ano de 1990 decidi que a viagem que invariavelmente fazia a Sagres para passar o fim de ano com a família passaria a fazê-la de bicicleta todos os anos até que pudesse. Este era o teste, ir de Tróia a Sagres de bicicleta num só dia e chegar antes de anoitecer.
Ora se por um lado com a minha devoção ao BTT, o que aconteceu logo no ano a seguir, isso tornou o objectivo a alcançar menos duro e fácil de conseguir, por outro lado a mudança da hora de Inverno para um hora mais cedo veio a tornar as coisas mais complicadas.
Nesse 1º ano de 1990 levei 10 horas e 25 minutos a chegar a Sagres depois de muito suor e lágrimas. Em 2003 no entanto gastei apenas 6 horas e 12 minutos.
Vários são os factores que podem contribuir positivamente para tornar a viagem mais: fácil:
Ir em grupo, o tempo colaborar, não haver vento de frente, a boa alimentação nos dias anteriores, dormir suficientemente nas noites anteriores, comer um farto pequeno almoço no dia, e ter um carro de assistência.
Felizmente todos os anos há uns quantos amigos que respondem afirmativamente ao meu convite para me acompanharem nesta loucura o que torna a viagem mais agradável e o convívio ao jantar nesse dia transforma-se num dos bons momento da minha vida.
A tomada de tempo na chegada a Sagres é feita na placa toponímia de entrada na vila e a concentração depois da chegada é junto ao Posto de Turismo de Sagres.

Em 2010 estiveram uns 1200 ciclistas na partida em Tróia. Em 2011 esse número foi superado. Em 2012 talvez eu contribua para aumentar esse número.

Advertisements
Esta entrada foi publicada em Ciclismo, Divulgação com as etiquetas , . ligação permanente.

3 respostas a 23ª Tróia–Sagres?

  1. Jorge Goes diz:

    Olá Luis, estive presente na edição de 2010 e estavam certamente mais de 1000 ciclistas presentes, mas como prova aberta que é sem hora de partida ou chegada nunca chegamos a ter a verdadeira percepção do numero de pessoas envolvidas. A questão logistica é fundamental e deve ser a mais importante nesta fase a 3 meses de “prova”, como se trata de uma iniciativa popular da ciclonatura não haverão abastecimentos , nem apoios, nem controles e a própria segurança dos atletas deve ser trabalhada com o seu staff. No meu caso a preparação tambem começou a 3 meses do dia 14 Dez. 2010.

    Fiz a prova com 2 amigos e com o apoio de 1 viatura com 2 elementos que foram fundamentais, abastecimentos de 50 em 50 kms , apoio de bidons e alimentação, apoio tecnico e até para descansar.

    Saimos da nova saida dos ferries em troia por volta das 08.30h e cheguei ao posto de turismo de Sagres por voltas das 17h. fiz a serra da carrapateira ( antes da V. Bispo) completamente ás escuras , pois nunca pensei levar tanto tempo de prova e apenas um pirilampo no espigão. Os meus colegas de equipa começaram a ficar para trás e até ameaçaram desistir na povoação da carrapateira quando o sol se pôs e a nioite ciau fria e escura , aqui sem duvida que a parte psicológica funcionou e fez manter a motivação.

    Já pensava que era dos ultimos a chegar e pedalava desanimado, a maldizer o almoço de frango assado na L.S.André, as paragens á espera de reagrupar com esperas de meia hora, os furos na zambujeira e espera da viatura, os bolinhos e cafés numa terreola perto de sines..etc..etc.

    Tive a sorte de fazer a prova com 2 excelentes amigos e bons ciclistas , tive um apoio logistico fantastico ..escolhi um banco da selle italia com proteção prostática e confortável, levei uns pedais confortáveis pois tirei uns crank brothers que são bons pra lama , mas não prestam para estas tiradas de 208 kms, instalei suportes para bidons extra, 3 ( espigão e 2 no quadro)
    Levei roupa confortável e calções ignorando o frio, capacete e oculos , luvas sem dedos. Vi malta a bufar que nem uns doidos com o calor e eu nem por isso
    Uns sapatos com os cleats quase desapertados para poder retirar rapidamente os pés e descansar as pernas nas descidas. Levei rodas de 26” com pneus estrada de 1,25” , mas sobretudo a diferença foi a logistica que nos acompanhou sempre.
    vi equipas de triatlo a treinar, ciclistas semi-profissionais que passavam por mim que até me abanavam, mas tambem vi malta a entrar nos pópós e a sair muitos km á frente, vi malta com bikes de estrada e sentia-me eu mal por levar pneus de estrada 26″ :)))
    vi tambem malta a seguir atrás dos carros de apoio a cortar o vento , na zona de sines que é do piorio aquela via -rápida com o vento de frente.., vi malta a urinar na bike tipo volta a frança e até uns que furaram e a propria equipa deixou-os sozinhos. (costuma dizer-se que se queres ver o que os teus colegas andam , para pra mijar) e na verdade levamos aqueles desgraçados do Norte ( Ovar , acho) que já nem sabiam para onde ir..
    em Sagres depois das fotos e arrumar as bikes na carrinha siga de regresso.
    paramos por volta das 19,30h em baraona e comemos a melhor açorda de bacalhau e uns 24 ovos pros 5 . derrapamos numas garerafas de tinto e uns bagaços pra acalmar as pernas..

    Cheguei a casa de madrugada cansado , mas valeu a pena.

    Ps. Só me sentei na bicicleta passados 15 dias

    abraço

  2. dcaldeirao diz:

    um relato mesmo ao teu jeito…
    mas tambem te posso dar uma visão do “lado negro” da força…, em 2009 http://caldeiraodferro.blogspot.pt/2009/12/comoaco.html
    tive o previlégio de partilhar o passeio com crakes do triatlo!
    o ano passado foi diferente, sai de troia às 8:30 e na 1ªhora já tinha feito 40km na roda do Leão Pinto e do David Rosa, depois meti o meu ritmo, e cheguei a sagres por volta das 14:30 em autonomia total, não tirei nenhuma vez os sapatos dos pedais…, 2 bidons, gel e barras para fazer abastecimentos iguais ao IM, mas sempre com muita companhia na minha roda, em especial a de um velhote com 60 anos e bigode!!!
    claro que nos vemos por lá no dia 15 e a parte mais importante já está conseguida, “….Para já é preciso pedalar mais. Sobretudo ir aumentando o número de quilómetros que são feitos num único treino e ver se pernas e nádegas aguentam…” foste tu que escreveste!!!

  3. Deni diz:

    Belos Relatos Companheiros ;-). Este ano irei participar pela primeira Vez, com a minha Equipa Fona Fona Team (6 homens e duas mulheres), malta vai de bike de Btt, mas eu irei na de Estrada, pois a minha bike btt está Ko dps de Marrocos, maldita areia. Queremos ir todos em grupo a uma média entre 20 e 25 km, levamos uma carrinha de apoio de 9 lugares e temos como objetivo fazer em menos de 10 horas. Força Companheiros & Viva ao desporto :-). Boas Pedaladas

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s