Lance “Doping” Armstrong, Parte 2

armstrong1

A USADA entregou à União Ciclista internacional (UCI) um dossier com 1000 páginas onde reúne os documentos que constituem as suas provas sobre a utilização de doping por parte do Lance Armstrong, o qual é retratado como um enorme aldrabão e um ser humano vingativo e corrupto. Em resumo é isto que a USADA diz conseguir provar:

  • Que o doping esteve sempre presente em toda a carreira desportiva do Armstrong;
  • Que as conquistas da equipa de ciclismo USPS / Discovery foram obtidas à custa do mais sofisticado e organizado programa de doping que alguma vez existiu no desporto;
  • Que mais de uma dúzia de antigos colegas, amigos e ex-funcionários da sua equipa confirmam a sua conduta desportiva fraudulenta;
  • Que Armstrong agiu com a ajuda de um pequeno exército de de colaboradores, incluindo médicos, traficantes de droga e outros membros da sua equipa desportiva e não só;
  • Que Armstrong tinha o controlo absoluto sobre o uso de drogas, gerindo ele próprio a cultura de doping na equipa;
  • Que pessoas ligadas à equipa de Armstrong teriam acesso a informação privilegiada sobre os controlos anti-doping;
  • Que as evidências estão para lá de qualquer dúvida e são mais fortes que qualquer um dos processos instaurados pela USADA durante a sua existência;

Apesar disto também é certo que o processo da USADA não contém uma prova incontestável de um único teste anti-doping que tenha dado positivo. Essa tem também sido a grande defesa de Armstrong: ao longo de todos estes anos ele não falhou um único teste anti-doping.

De salientar que nem tudo são «evidências para lá de qualquer dúvida». Muitas “evidências” são baseadas em opiniões, p.e., quando um ex-colega de equipa disse que viu Armstrong entrar para o quarto médico da equipa e que ele teria saído de lá 45 min depois (aproximadamente o tempo de demora uma transfusão de sangue), com um ar muito mais enérgico. O processo incluiu registos de vários depósitos, no valor global de cerca de 1 milhão de dólares, que Armstrong fez na conta bancária suíça de Michele Ferarri, o médico italiano que em 2004 foi condenado por um tribunal italiano pela acusação de administração de doping a atletas. Existem provas desses depósitos mas não existe prova sobre quais os serviços prestados pelo médico em troca dessas quantias. A relação entre Armstrong e o médico Michele Ferarri estaria na base de outra evidência do processo relacionada com situações de intimidação efectuadas por Armstrong. De acordo com o ciclista italiano Filippo Simeoni, que testemunhou contra Ferrari, Armstrong ter-se-ia colocado ao lado dele durante o Tour de France 2004, dizendo-lhe: “Você cometeu um erro quando testemunhou contra Ferarri. . . Eu tenho muto tempo e dinheiro para o poder destruir“.

“It is understandable now for people to look at any results in cycling and question that,” Dave Brailsford, o ‘patrão’ do ciclismo britânico

Se a UCI tomar como certas as «evidências para lá de qualquer dúvida», apresentadas pela USADA, então, Lance Armstrong perderá definitivamente os seus 7 títulos do Tour. Aguardemos com serenidade.

Advertisements
Esta entrada foi publicada em Ciclismo, Dopping com as etiquetas , . ligação permanente.

8 respostas a Lance “Doping” Armstrong, Parte 2

  1. Joao rita diz:

    Estes gajos da USADA , só mecerem que percamos tempo com estas noticias, quando tiverem o mesmos métodos, objectivos, protagonistas diferentes, ou seja , desde que se centrem num UNIVERSO, e não no individuo. Não ponho em causa que não houvesse doping . Agoro o que me mete confusão é toda estas “perseguições” com o objectivo de liquidar o ser e de não combater o doping no DESPORTO.
    Para mim.para terem credibilidade, teriam que investigar com o mesmo afinco todos os outros (Não só Armstrong..).
    A NIKE não lhe retirou os patrocinios, porque será?

    • João, a questão é que a USADA, à custa desta marcação cerrada, irá fazer com que dentro de dias o Armstrong perca de vez os seus 7 título do Tour. E depois disso a história se encarregará de fazer esquecer a lenda. Daqui a 30 anos, quando um qualquer miúdo consultar a Wikipédia dessa altura e quiser saber a lista dos vencedores do Tour, já não irá encontrar o nome de Armstrong nem ficará a saber quem ele foi, a menos que alguém lhe conte a sua história.
      E depois, qual será a credibilidade do ciclismo se a maioria passar a achar que Todos andam lá sob o efeito do doping?

  2. CalimeroVerde diz:

    Para mim a evidêcia de que fez doping é que as suas prestações eram constantemente demasiado sobre-humanas e superiores a todos os outros para não estranhar. Basta-me isso para pensar que se ele não era um algo geneticamente e sobrenaturalmente humano há então ali havia gato. Aliás olhando para o posterior e também apanhado no doping Contador faz-me pensar que os seres extraordinários no ciclismo não podem verdadeiramente existir. Aliás fiquei até desiludido por saber que até o nosso Joaquim Agostinho se dopava. E muitos outros devem ter ficado por apanhar. Já não me admirava que descobrissem que até Ickxy o fizesse.

    • CalimeroVerde diz:

      Bah não queria dizer Ickxy queria dizer Merckx lol… Belgas… São todos iguais! ;D

    • 🙂 Raio dos Belgas. Calimero, então o que fazer ao ciclismo internacional e ao Tour em particular? Aceitar que será o único desporto onde o doping é tolerado ou continuar a admitir, talvez ingenuamente, que apenas alguns recorrem a esquemas ilegais para ter vantagem sobre os restantes? É que por um lado parece que muitos são dessa opinião, que ali o doping é prática comum, continuando a assistir às provas como se nada fosse. Não se tolera que um corredor possa recorrer ao doping, mas tolera-se que um ciclista recorra?
      Hoje li este artigo: “Lance Armstrong: Tyler Hamilton on ‘how US Postal cheated’“, que fala do livro publicado pelo Tyler Hamilton, onde ele descreve de forma detalhada a forma como funcionava o esquema de doping. Se for verdade …

      • CalimeroVerde diz:

        Fiquei envergonhado porque até admiro os dois. Mas os “xx” belgas chamado em forma carinhosa (Eddy, Jacky) às vezes faz-me confundi-los muito facilmente! Ainda por cima são desportistas da mesma época (e até nascidos no mesmo ano)! Que chatos estes belgas!

        Quanto ao problema do doping já nem sei o que diga ou se haverá alguma vez solução para tal. Ainda este anos se apanhou uma chinesas e voltou-se a acusar a ineficiência do anti-doping. No desporto em geral os chineses já tinham tido uma fase umas duas décadas atrás e houve a época em que tal era prática comum nos antigos atletas da RDA e de leste. Sabe-lá o que se faria ainda antes quando nem os testes eram prática comum e tudo era feito de forma muito primitiva.

        Eu fiquei admirado com umas tantas medalhas e recordes que gente muito nova alcançou nestes jogos olímpicos. Uma nadadora americana, outra chinesa e qualquer outra halterofilista asiática. Será possível gente tão tenra conseguir bater atletas com mais prática e massa muscular adquirida? Gostava de acreditar que uma nova geração de atletas estejam a despontar fruto de conhecimento e práticas naturais desportivas aprimoradas usadas. Posso estar a ser demasiado desconfiado mas…

        O ciclismo parece acabar por ser um laboratório de onde as técnicas inovadoras do doping e técnicas de iludir os controlos acontecem. A técnicas de controlo laboratorial parece ir evoluindo mas pelos vistos nunca chega para ser eficiente. É uma pena para este desporto muito exigente ser uma constante montra de desonestidade no desporto. Eu pessoalmente já fico sempre atrás quando surge daqueles campeões muito dominadores. Se as vitórias são constantes e regulares começo sempre por desconfiar. O certo é que deixei de acreditar em atletas dominadores à antiga quando a concorrência é imensa. Parece ser mais natural acreditar na mediania, na alternância de vencedores e picos de forma de atletas. Domínios e sucessos constantes durante uma época inteira ou até uma carreira são demasiado anormais e improváveis.

        Panorama: triste. Solução: poderá haver alguma por agora?

  3. Calimero, «Eu pessoalmente já fico sempre atrás quando surge daqueles campeões muito dominadores», digo-te esperar que nunca se venha a saber nada do Phelps. Para mim ele será o maior campeão de todos e espero que tudo o que tenha feito, tenha sido de forma limpa. Senão, vou ficar mesmo deprimido

    • CalimeroVerde diz:

      O Phelps é outro que nem abordei porque realmente nunca nada veio ao de cima neste tempo todo. O tipo aos 15 também já era um campeão. O se torna curioso é que mesmo com os seus desleixos e mergulhos na erva, quando voltou quase pareceu nem ter estado fora de competição aquele tempo todo. Assim, ou na natação ainda há muito para evoluir a nível de resultados ou o tipo é mesmo de outro mundo. Ou lá está “algo” andou muito bem a ser feito. Creio que muita gente no meio deve pensar no mesmo mas sem provas…

      E nem falamos do caso Bolt e de algo que possa estar a ser geminado lá nas Jamaicas pois não? Aí sim já há alguns índicios que algo
      http://chicago.cbslocal.com/2012/08/12/bernstein-usain-bolt-is-probably-doping-and-you-know-it/

      Super-atletas? Não sei não. Isto já é tudo muito profissional para acreditar que margens regulares de superioridade sejam assim realmente possíveis.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s