XLIII Grande Prémio dos Reis

No passado Sábado, em Faro, realizou-se o “XLIII Grande Prémio dos Reis”, uma prova integrada no campeonato regional de estrada, organizada pela Associação de Atletismo do Algarve (AAA), com o apoio da Câmara Municipal de Faro. A prova feminina contou com 55 corredoras e a masculina com 209, o que dá uma proporção de cerca de 1 para 4.

Ao contrário do ano passado, a organização decidiu separar a corrida feminina da corrida masculina. Mais que isso, a prova feminina seria numa extensão de 4700m enquanto que a prova masculina teria a extensão total de 7500m. Eu não fui lá correr, mas fui assistir, apoiar e fotografar quem lá estava. Não sei se os principais interessados na prova gostaram da separação que foi feita, ou mesmo se as corredoras se sentiram indignadas por apenas poderem correr uma distância mais curta. Eu continuo a não entender os motivos que levaram a AAA a fazer essa separação, e mesmo não sendo o principal interessado, enviei email à AAA e à CM de Faro a mostrar a minha indignação por essa separação. Tenho dito.

IMG_9251

Em relação à prova feminina, a Ana Cabecinha foi a grande vencedora, com um tempo final de 15:56, seguida de duas finlandesas, Minna-maria Kangas com 16:08 e Janica Makela com 16:27. Saliente-se também que a comitiva finlandesa colocou 7 corredoras nos 10 primeiros lugares.

IMG_9492

Na prova masculina, o grande vencedor foi o alemão Andre Pollmacher, com 22:31, seguido do finlandês Oskari Pennanen, com 22:47, e do português Jorge Varela, com 22:58.

Os resultados oficiais na AAA

Todas as fotos no Facebook e no Flickr (em grande formato e melhor qualidade).

Advertisements
Esta entrada foi publicada em Algarve, Corrida, Faro, Fotos com as etiquetas , , , . ligação permanente.

9 respostas a XLIII Grande Prémio dos Reis

  1. É uma das provas mais antigas, quanto à separação e distância das provas não vejo mal, afinal são várias as competições em que há separação entre homens e mulheres provas com distâncias diferentes.
    Curioso a vencedora feminina ser uma atleta de marcha.
    Excelente ano de 2013.
    Abraço.

  2. Sérgio diz:

    Que pena estive na prova mas infelizmente não apareço em nenhuma das fotos. Parece que o fotografo nao gosta de mim. Estou indignado 🙂 🙂

    • 🙂 Sérgio, garantidamente que foi azar. Mas também é certo que tive de deitar fora muitas fotos. Ou estavam desfocadas ou estavam tremidas. Mas este Domingo, é aparecer na meia de Ayamonte que eu vou lá estar para mais uma reportagem

  3. CalimeroVerde diz:

    Portanto Ana Cabecinha à cabeça do trem finlandês. Ora o que não entendo é porque as fotos da corrida F estão quase todas a preto e branco! É algum protesto deliberado contra a separação das provas?

    • 🙂 Calimero, é mais no sentido de disfarçar a falta de luz. Escuro por escuro, vai a P/B

      • CalimeroVerde diz:

        Outras fotos da mesma corrida parecem ter luz aceitável mas decerto já andaste a fazer processamento delas. Tens uma máquina “aceitáveis” DSRL certo (Canon/Nikon)? Não sei em que modo tiras as tuas fotos mas porque não compensas com mais exposição? Sugiro-te que comeces a usar (auto)-bracketing. Usar RAW em vez de JPG pode-te também ajudar a ter uma versatilidade pós-editorial depois. Mas se calhar já sabes e fazes tudo isto. 🙂

  4. 🙂 Algumas coisas faço, algumas coisas sei, mas não uso o RAW. O problema ali é que cada ficheiro RAW tem cerca de 20mb. Já em JPG, a máquina engasgava-se ao tentar gravar tanta fotografia em simultâneo. E 2 cartões não chegariam para as fotos em RAW.
    A máquina é uma Cannon D500. Tenho depois duas lentes Zoom, uma 18-55 (que vinha com a máquina) e uma 70-300 5.6. O problema está mesmo nas lentes, que não são muito luminosas.
    As primeiras fotos foram com 400ASA e as últimas já tiveram de ser a 3200ASA para conseguir um mínimo de 1/50. E se reparares, na corrida dos homens, entre terem muito grão, a lente 18-55 apresenta também grande dificuldade em focar cenas rápidas com pouca luz.

  5. CalimeroVerde diz:

    Pronto, se te gasta muito cartão deixa lá o RAW. Foi apenas uma ideia. 3200ASA realmente é muita sensibilidade quase não há foto ou máquina que aguente bem tanto sem vir o grão. Também pode ser que te compense não usares os megapixeis todos (10 ou 8?) e usar o brackting JPG para teres umas fotos mais rápidas neste tipo de reportagem fotográfica.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s